sábado, 27 de agosto de 2016

JANE E EU

Conheci a Jane em uma escola em que trabalhamos juntas. Ela era uma pessoa muito otimista e acreditava demais nas pessoas. Ela era casada e tinha dois filhos, o marido dela era publicitário. Parecia que eles viviam bem, mas só parecia. Muitas vezes eu vi a Jane chorar no banheiro da escola. Um dia não aguentei e perguntei o que estava acontecendo. Ela me abraçou e disse que seu casamento era uma grande merda. Que seu marido era um filho da puta que vivia se envolvendo com outras mulheres. E que ela precisava tomar uma decisão. Separar ou continuar com aquela vida ruim.
Eu só ouvia, não tinha coragem de dizer nada, pois sabia um pouco o que ela estava passando, pois minha falecida mãe viveu uma vida ruim junto com meu pai. Ele era um homem que sempre tinha relacionamentos fora do casamento. Minha mãe era uma mulher linda, mas com o tempo foi ficando feia e amarga. A última vez que meu pai viu minha mãe, ela disse pra ele que não aguentava mais aquela situação e queria  a separação, mas meu pai era cruel, ele queria viver trepando com suas secretárias, mas minha mãe tinha que ser a senhora dócil e amável com ele e aguentar tudo de errado que ele fazia.
Infelizmente minha mãe não tinha forças para sair fora daquela situação. Sei que tudo aquilo que vivemos foi ruim, eu e meus irmãos sofremos muito com aquela  forma de vida de meus pais.

Voltando a minha amiga Jane. Um dia eu disse a ela que ela precisava  ser forte e tomar uma decisão, pois tudo aquilo estava prejudicando a vida dela e de seus filhos. Foi aí que contei a minha história pra ela. Ela ouviu e disse assim: Hoje mesmo eu vou dar um rumo novo na minha vida.
No dia seguinte ela me contou que tomou coragem e mandou o seu marido embora. Disse que os filhos não podiam ser prejudicados por uma relação ruim.

Detalhe: nunca disse a ela que minha amada mãe não teve a coragem dela, infelizmente minha mãe se matou com uma dose excessiva de veneno.