domingo, 29 de novembro de 2015

SECRETÁRIA E PATRÃO

O cara tinha um caso com a secretária... Mas é sempre assim! O empresário que tem uma secretária que fica afim dele, e ele afim dela. Se entregam ao prazer e passam por cima de tudo e de todos.
A mocinha inocente e o patrão garanhão. Ou,  a mocinha golpista e o babaca do patrão.
Curtem a vida e atrapalham a vida de suas famílias,mas eles não estão nem aí, sexo muito sexo é o que importa, curtem a vida e não pensam no futuro.

E POR QUE NÃO!

Eu deveria ter sido bem cachorra, bem filha da puta, mas não, claro que não. Sempre fui uma boa moça, embora fosse linda e sempre notada e desejada, nunca cedi aos apelos masculinos mais ousados. Se eu tivesse sido bem sacana quem sabe teria mais consideração por parte das pessoas. As pessoas adoram gente filha da puta, gente safada, claro que tem que ter dinheiro, porque sem dinheiro ninguém vale nada.

O VELHO

Ele foi um homem rude. Golpeou tudo o que pode ser golpeado durante sua vida.
Foi um homem que fez escolhas ruins. Por quê? Não sei, só sei que ele passou a vida inteira sendo mal. Ele não teve uma infância triste e miserável, ao contrário. Teve fartura em sua casa. E não estudou porque não quis, achava que era bom demais no que fazia e não precisava estudar.
Mas um dia se descobriu velho e sem saúde. E o pior de tudo, se viu sem ninguém.
Durante sua infeliz vida, teve tempo de fazer mudanças, mas não fez. Hoje, ele vive nas ruas de uma grande cidade pedindo esmolas.

A PERDA DE BELISA BEL

Saiam, saiam daqui! Vocês de novo! Vão voar em outro lugar!
Acorde Belisa. Você está sonhando de novo.
Como assim! Sonhando...
Escutei aquelas vozes cantando pra mim:
Belisa Bel era uma menina linda
que acreditava no amor.
Belisa Bel caiu no conto do moço bonito
e nunca mais se libertou.

Esqueça isso! Que bobagem!
Eu me lembro da menina que teve um bebê, mas o bebê morreu.
Quando aquela enfermeira de olhos grandes entrou no quarto e disse: Seu bebê não vem te ver, ele morreu.
Então foi isso que aconteceu. E outra enfermeira falou: Belisa, quantos anos você tem, você tem cara de menina muito nova, você vai superar essa perda.

O PERSONAGEM


Ele deu o último suspiro e partiu sorrindo para o reino do nunca mais.
Quase não acreditei! Eu estava ali do lado dele e pensei tantas coisas. Foi como se toda minha vida voltasse num filme, nem sei quanto tempo fiquei parada olhando o nada.
De repente uma enfermeira entrou no quarto e disse que eu precisava sair, pois ela tinha que fazer alguns procedimentos no paciente.

O paciente
Céus! Agora aquele ser com quem convivi por tantos anos era só um paciente que já havia morrido e a gentil enfermeira não quis dizer a palavra morto. Talvez ela tenha pensado que eu iria estranhar, mas estranhar o que? Estranheza é não compreender que vivemos de ciclos, um acaba e começa outro.

O começo
Tudo tem um começo, bom seria se os começos durassem quase uma eternidade. Porque os começos são sempre cheios de encantamentos. Uma mulher encontra um homem, então um novo mundo se abre. Começam as descobertas dos mundos de cada um. Leva-se uma vida inteira para descobrir o outro, quando a gente pensa que já sabe tudo, então vem um soco no estômago.

O caminho
Um dia a gente descobre um caminho e começa a percorre-lo e são tantas surpresas, tantas alegrias e tristezas que a gente pensa que não vai conseguir chegar a um lugar calmo e tranquilo. E assim seguindo em frente, um dia a gente alcança a tranquilidade, mas logo vem o tempo e diz que é hora de aprender a seguir sozinho.

O fim
A gente segue em frente e vai aprendendo com as perdas, e um grande aprendizado e o da espera. A gente vai esperando que tudo fique bem.